Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010
A alimentação durante a gravidez pode modificar os genes do bebé

As mães que seguem uma dieta rica em gorduras antes e durante a gravidez podem colocar em risco o seu bebé, isto segundo um estudo realizado por uma equipa de investigadores britânicos.

Este grupo de cientistas concluiu que a dieta da mãe poderá interferir nos genes que o bebé herda e influenciar o tipo ou a severidade dos defeitos de nascimento, como doenças cardíacas congénitas e fissura palatina.

“Estes resultados são muito importantes porque conseguimos demonstrar pela primeira vez que as interacções entre os genes e o meio ambiente podem afectar o desenvolvimento do embrião no ventre” afirmou Jamie Bentham, do Centro Wellcome Trust de Genética Humana da Oxford University, que liderou o estudo.

“É encorajador porque sugere que os problemas cardíacos congénitos podem prevenir-se através de medidas como alterar a dieta materna” acrescentou o mesmo. Essa doença é a forma mais comum de problemas ao nascer e vários estudos prévios demonstraram que as crianças de mães com diabetes ou com excesso de peso têm um maior risco de sofrer da mesma.

Também se sabe que certas alterações genéticas, como uma deficiência no Cited2, podem provocar a aparição da doença cardíaca congénita. Mas, até agora, os cientistas não sabiam se outros factores externos, como a dieta da mãe, poderiam interferir com as variações para afectar o bebé.

fonte:http://www.todopapas.com.pt



publicado por adm às 18:25
link do post | comentar | favorito
|

Exercitar-se durante a gravidez evita o aumento desnecessário de peso

Segundo uma revisão de 12 estudos, ser fisicamente ativa durante a gravidez ajuda as mulheres a ganhar menos peso. Os pesquisadores alemães descobriram que as mulheres que se exercitaram ganharam uma média de 0,59 quilos a menos.

Ainda há outras razões para se exercitar durante a gravidez. O exercício pode ter efeitos positivos sobre o humor e a sensibilidade à insulina em pessoas em geral, ajuda a manter o condicionamento pré-gravidez, e parece não ter efeitos negativos sobre as mulheres durante a gravidez.

Apesar da perda de peso não ser grande, mulheres que ganham muito peso durante a gravidez correm o risco de uma série de problemas, incluindo diabetes, pressão alta e complicações no parto. Um estudo recente também descobriu que mulheres que ganham mais peso durante a gravidez dão à luz a bebês mais pesados, que por sua vez são mais propensos a se tornarem adultos obesos, e a terem câncer, alergias e asma.

Coletivamente, os estudos compararam mais de 1.000 mulheres. Os programas encorajavam as mulheres a se exercitar, aproximadamente, por até uma hora três vezes por semana, com exercícios aeróbicos, corrida, ciclismo ou fortalecimento muscular, a partir do primeiro ou segundo trimestre da gravidez.

Segundo os pesquisadores, os estudos não mostram uniformemente que o exercício está associado com menor ganho de peso durante a gravidez, mas, no geral, a tendência dos dados corre nessa direção.

Algumas mulheres perderam mais do que a média de 0,59 quilos, especificamente as mulheres que já estavam com sobrepeso ou eram obesas antes da gravidez. Outra análise que incluiu atividade física combinada com aconselhamento dietético descobriu que as mulheres que seguiram este programa ganharam quase 1,36 quilos a menos durante a gravidez.

Não é surpreendente que o exercício sozinho tenha apenas um pequeno impacto sobre o ganho de peso durante a gravidez. Os pesquisadores explicam que o que realmente importa não é apenas o quanto as mulheres se exercitam, mas também o quanto comem.

Em geral, o exercício é seguro na gravidez. Ainda assim, os pesquisadores alertam que esportes de contato extremo e outros exercícios intensos, como maratonas, não são uma boa ideia.

fonte:http://saojoaquimonline.com.br/



publicado por adm às 16:27
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010
Laxante na Gravidez

O uso de laxante na gravidez é uma boa maneira de conseguir eliminar os gases intestinais acumulados e aliviar a prisão de ventre, mas não deve ter seu uso constante, para que o intestino não fique mal habituado.

Alguns obstetras recomendam laxantes de toma oral, que demoram um pouco a fazer efeito, outros recomendam um microclister, uma espécie de supositório que não é absorvido pelo organismo e tem um efeito mais rápido.

Os mais recomendados são os à base de glicerina, que ajudam a humidificar as fezes, facilitando a sua eliminação, tendo um bom resultado até nas fezes mais antigas e secas.

No final da gravidez, é comum que a mulher tenha mais problemas com a prisão de ventre e pode utilizar um laxante para aliviar o desconforto. Existem alguns microclister que são adequados para a gravidez pois não provocam danos ao bebe, alguns exemplos são o citrato de sódio (microlax) e o dulcolax.

fonte:http://www.tuasaude.com



publicado por adm às 18:24
link do post | comentar | favorito
|

Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010
Barriga Dura na Gravidez

Quando a barriga fica muito dura momentaneamente na gravidez, provavelmente ela e causada por uma contração uterina. As contrações uterinais são mais comuns após a 30ª semana de gestação e podem ocorrer várias vezes durante o dia, com ou sem dor.

No terceiro trimestre da gravidez, o corpo começa a preparar-se para o momento do nascimento, e para tal, começam as contrações de treinamento, que cientificamente são chamadas de contrações de Braxton Hicks . Nío se preocupe se surgirem antes deste periodo, desde que nao sejam muito frequentes.

O sinal mais eminente de trabalho de parto são as contrações ritimicas e regulares, como aquelas que aparecem a cada 15 minutos, duram até 1 minuto, passando a seguir e que com o passar do tempo, vão diminuindo o intervalo de tempo entre elas.

Quanto mais perto estiver do bebê nascer, as contrações vão tornando-se cada vez mais intensas, dolorosas e com um intervalo de tempo menor entre elas.Quando a barriga fica dura, a mulher deve procurar uma posição confortável e respirar lentamente, concentrando-se na respiração, para que não perceba tanto a dor causada pela contração.

É normal que no final da gravidez a barriga fique mais dura, de uma maneira global, isso ocorre porque a pele ja esticou muito e ja não há muito espaço para o bebê se mexer.

Algumas vezes o médico receita a toma de magnésio na gravidez para diminuir as contrações.

fonte:http://www.tuasaude.com



publicado por adm às 18:22
link do post | comentar | favorito
|

Gravidez com mioma uterino

Um dos problemas mais importantes que os médicos ginecologistas lidam nos consultórios é em relação a pacientes com miomas uterinos que desejam engravidar.
Muitas mulheres engravidam sem muita dificuldade, apresentam uma gestação normal e têm filhos sem complicações apesar dos miomas e, além disso, podemos dizer que essas mulheres nunca souberam e nunca saberão que tem miomas uterinos. Mas, quando os miomas interferem, existem diversas maneiras diferentes deste evento acontecer, sendo as principais questões a serem levantadas em relação ao mioma e gravidez são:
Os miomas dificultam a mulher a conseguir engravidar;
Os miomas aumentam o risco de acontecer um aborto na gestação;
Os miomas podem levar a mulher a complicações na gravidez e também no parto;
Se os miomas forem tratados quais serão as conseqüências do tratamento em relação à fertilidade e uma gravidez futura.
Todos os tipos de miomas existentes podem levar a uma dificuldade para a mulher engravidar, mas para que essa dificuldade ocorra os miomas tem que dificultar o encontro do espermatozóide com o óvulo.
Mas, de maneira geral os miomas são tumores benignos que ficam localizados no útero e também podem ser chamados de fibromas. As causas dos miomas são ainda desconhecidas para a ciência, mas acredita-se que o seu desenvolvimento seja uma predisposição genética, ou então, uma maior suscetibilidade à estimulação do hormônio estrogênio, o qual normalmente está presente no organismo feminino.
Na maioria das vezes, a presença do mioma não traz muitos sintomas, pois os sintomas são assintomáticos, porém, em alguns casos podem ocorrer sintomas dependendo da localização mioma no útero, podendo causar sintomas como desconforto abdominal, alterações urinárias, dor e hemorragia.
Há três tipos de miomas, os quais são classificados de acordo com a sua localização no útero, sendo eles:
Subserosos: crescem para fora do útero e só prejudicam a gravidez se caso forem muito grandes;
Intramurais: estão localizados no meio da musculatura uterina e só prejudicam uma gestação se no caso, estiverem muito próximos da cavidade uterina, ou então, nos orifícios tubários que acabam deformando a arquitetura do útero;
Submucosos: estão localizados na parte interior do útero e podem causar hemorragia e impedir a implantação do embrião.
A versão maligna do mioma chama-se leiomiosarcoma, o qual é muito raro e ocorre em menos de 1% dos casos e só é suspeitada a sua presença quando há um crescimento muito rápido no tamanho do mioma.
Os miomas são mais comuns quando a mulher encontra-se na faixa etária de 35 a 45 anos. Os miomas afetam a fertilidade da mulher, pois impede a implantação do embrião, pois o mioma causa deficiência na circulação sanguínea local e isso pode provocar o abortamento, no caso de quando o mioma for submucoso, ou então, pode compressão o feto, podendo obstruir as tubas uterinas.
O diagnóstico de um mioma é feito através de um ultra-som ou outros exames. Para o tratamento do mioma é somente quando realmente houver necessidade de tratamento, sendo que a melhor alternativa é a cirurgia, porém em casos especiais pode ser feito um tratamento clínico.
Os tratamentos clínicos são indicados na maioria das vezes antes da cirurgia com a finalidade de reduzir o tamanho dos miomas e também facilitar a intervenção. Para o tratamento clínico são receitados hormônios que podem causar efeitos colaterais desagradáveis como menopausa e ondas de calor inteiro, além de serem caros. Lembre-se que a indicação de tal tratamento deve ser feito por um médico especializado no assunto.

fonte:http://www.dicasgratisbrasil.com/



publicado por adm às 11:27
link do post | comentar | favorito
|

Como evitar celulite na gravidez

Durante o período da gravidez, na maioria das vezes, as estrias começar a aparecer, principalmente nas áreas como barriga e quadril. Além de a gravidez gerar um ganho ou perda de peso rápido, ela faz com que a pele estique e faz com que as fibras se rompam, por isso, é de extrema importância que as grávidas passem cremes e hidratantes a base de rosa mosqueta logo quando as estrias estiverem vermelhas, pois assim elas serão eliminadas.
As estrias podem aparecer tanto em homens, crianças e também mulheres, pois elas aparecem quando há um rompimento intenso nas fibras da pele e, por isso acabam aparecendo àqueles riscos avermelhados quando são estrias recentes e brancas quando são estrias mais antigas, as quais são mais difíceis de desaparecerem.
As estrias não são fisicamente dolorosas, porém são desconfortáveis, por isso, a maioria das mulheres as odeiam e tentam de tudo para evitar o seu aparecimento, por isso, veja aqui algumas dicas:
Durante a gestação é muito indicado que a grávida use cremes preventivos diariamente que tenham em sua composição rosa mosqueta, manteiga de cacau, vitamina E e etc;
As estrias também podem ser evitadas através de uma dieta saudável, pois alimentos ricos em vitamina A, E e C podem trazer vários benefícios para a pele e na prevenção das estrias. Além desses, há também os alimentos ricos em silício e zinco, os quais podem ser encontrados em alimentos como arroz, pimentão, soja, verduras, grãos integrais e beterraba;
Alimentos que contenham ácidos graxos essências como óleos vegetais e óleo de peixe ajudam na prevenção das estrias, pois eles ajudam na elasticidade da pele e na produção de colágeno;
A perda de peso lenta e a realização de um treino é indicado não perder ou aumentar de peso rapidamente, pois isso leva ao aparecimento das estrias;
Pratique atividade física regularmente, mas lembre-se que deve consultar o seu médico antes, pois manter-se ativa é extremamente fundamental, pois ameniza o aspecto feio na pele;
Controle o seu peso através de uma dieta balanceada, pois o peso indicado para ganhar durante toda a gestação é de 9 a 12 quilos, por isso, ingira muitas frutas, legumes e verduras;
Não esqueça de se manter bem hidratada diariamente, pois além de ajudar na gravidez evita a desidratada e o ressecamento da pele;
Use uma meia elástica, mas o ideal é que ela faça somente uma leve compressão para que o sangue possa circular normalmente;
Evite o uso de salto alto, pois ele acaba dificultando o movimento da articulação dos pés e das pernas e assim prejudica a circulação sanguínea;
Coloque a perna para cima, na altura do quadril, sempre que sentir que ela está inchada e sempre que puder.

fonte:http://www.dicasgratisbrasil.com



publicado por adm às 11:26
link do post | comentar | favorito
|

Gravidez de risco: saiba o que é a Síndrome de Helpp

A novela Passione, da TV Globo, a personagem Diana, vivida pela atriz Carolina Dieckmann, morreu após o parto de filha Vitória. Já no hospital, a personagem descobre que tem Síndrome de Hellp, uma complicação obstétrica com risco de morte, considerada por muitos uma variação da pré-eclâmpsia, que pode ocorrer na gestação ou após o parto. 

Entretanto, pouca gente sabe o que é a tal síndrome. Trata-se de uma doença caracterizada principalmente por três fatores: a destruição dos glóbulos vermelhos (pelo rompimento da membrana plasmática), a elevação das enzimas hepáticas e a baixa contagem de plaquetas, o que prejudica a coagulação sanguínea. Como geralmente são confundidos com a pré-eclâmpsia grave, os sintomas da Síndrome de Hellp podem passar despercebidos se não houver uma avaliação laboratorial. Por isso, muitas vezes, o diagnóstico é feito quando a síndrome já se encontra em estado avançado. 

"O que as pessoas não imaginam é que o fato da mãe ter Hellp implica em risco aumentado da criança recém-nascida desenvolver uma doença genética hereditária, que se não for diagnosticada, pode levá-la ao óbito", explica Salmo Raskin, médico geneticista e diretor da Sociedade Brasileira de Genética Médica. Isso ocorre porque a criança pode nascer portadora da Deficiência de LCHAD (ou deficiência da enzima desidrogenase de 3-hidroxi-acil-CoA de cadeia longa). 

Os principais sintomas do bebê são hipoglicemia, letargia, déficit ponderal e retardo do desenvolvimento, frequentemente acompanhadas por hipotonia e cardiomiopatia. "Algumas ocorrências de Síndrome de Morte Súbita do Lactente (SMSL) são possivelmente causados por LCHAD", esclarece Raskin. "O diagnóstico e o tratamento precoces podem prevenir episódios de risco de morte. O jejum deve ser evitado e, além disso, deve-se instituir uma dieta rica em carboidratos", conclui.

fonte:http://www.bonde.com.br



publicado por adm às 00:54
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010
Remédio para Gases na Gravidez

Os remédios para gases na gravidez devem ser tomados sob prescrição médica, pois alguns podem passar pela placenta para o bebe e prejudicá-lo de alguma forma ou podem até provocar o trabalho de parto.

Entretanto, no final da gravidez é comum que a mulher sinta um desconforto abdominal, com uma dor aguda e constante na barriga, acompanhada de inchaço abdominal, se for este o caso, um remédio eficaz é o supositório de glicerina, que vai ajudar a eliminar os gases e as fezes acumuladas.

Mas o uso constante de laxantes não é autorizado pelos éedicos, pois deixam o intestino ainda mais preguiçoso, o que causa um círculo vicioso. Por isso, o uso de laxantes deve ser recomendado somente em casos de emergências e não para uso diário.

As grávidas que sofrem com prisão de ventre constante podem esperimentar acrescentar 1 colher de linhaça à refeição, ou num potinho de iogurte e tomá-la diariamente para evitar este desconforto.

A linhaça é um produto natural, que não possui contra indiocações e que ajuda o trânsito intestinal.

fonte:http://www.tuasaude.com



publicado por adm às 18:21
link do post | comentar | favorito
|

Gravidez de gêmeos cuidados a ter

A gravidez em si já é uma notícia maravilhosa e quando a notícia vem em dose dupla, aí a emoção e felicidade é ainda maior. Mas, além das alegrias, podemos nos deparar também com preocupações, pois na maioria das vezes, é algo inesperado que vem de surpresa para os casais.
A gravidez de gêmeos não acontece por acaso, pois necessita de características hereditárias e, por isso, tem grandes chances de acontecer em famílias com esse antecedente.
Carregar dentro de si gêmeos, ou até mesmo trigêmeos e mais, obriga a mulher a consultar o seu médico ginecologista com mais frequência, afinal é importante levar em consideração os cuidados que devem ficar mais atentos e específicos de acordo com a condição de cada mulher.
Se ao longo da gravidez, uma gravidez normal, ou seja, uma gravidez de um único feto já é inevitável à ocorrência de diversos desconfortos, então em uma gravidez de gêmeos este desconfortos são ainda mais intensos e sentidos em dobro, entre eles estão:
A gravidez de gêmeos tente a provocar fortes enjôos que são seguidos de náuseas e vômitos nos 3 primeiros meses. Para isso a solução é comer pouco e várias vezes ao dia e beber muito líquido;
Dores nas costas, pois a mulher grávida de gêmeos sente mais dores, por isso, deve-se ter um cuidado em especial com a postura para evitar sobrecarga e também é indicado não levantar coisas muito pesadas;
Cansaço, pois gravidez tem a tendência de se sentirem mais cansadas, principalmente de gêmeos, sendo este um aspecto que pode ser agravado por conta da presença da anemia, por isso, o segredo é descansar o máximo possível e tomar suplementos de ferro e ácido fólico e tomar cuidado com o aparecimento da anemia;
Indigestão, pois o estômago da grávida fica muito comprimido contra o diafragma e isso dificulta a passagem dos alimentos e da digestão, por isso, para evitar esse mal estar à grávida deve fazer pequenas refeições;
Além disso, é muito importante que a mulher tome muito cuidado para melhorar sua saúde e a dos bebês, pois a margem de risco maior de sofrer complicações é ainda maior durante a gestação, sendo o parto prematuro um dos problemas mais comuns, assim como o problema de que os filhos nasçam com alguma deficiência, por isso, o cuidado é importante;
A grávida deve ficar o seu medico pelo menos duas vezes ao mês nos primeiros 3 meses e, uma vez por semana depois do terceiro trimestre e, à medida que o parto se aproxima os exames e análises devem ser cada vez mais intensos, principalmente para verificar se existe algum risco de parto prematuro e, se caso isso se confirme o médico poderá recomendar um repouso absoluto e, em último caso, recomenda-se o tratamento com medicamentos que ajudam a atrasar o parto;
É indicado controlar a pressão arterial da grávida para evitar a pré-clampsia e verificar o ritmo cardíaco do feto em movimento e o ritmo do crescimento dos bebês através do ultra-som;
A mamãe deve ganhar de 15 a 20 quilos durante toda a gravidez, pois tudo dependerá do peso normal de cada mulher;
É muito importante ingerir muito líquido, principalmente água quando a gravidez é múltipla, pois o risco de contrações prematuras e do nascimento prematuro aumentam ainda mais quando a grávida encontra-se desidratada.

fonte:http://www.dicasgratisbrasil.com/



publicado por adm às 00:19
link do post | comentar | favorito
|

Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010
Vacina da gripe na gravidez ajuda a proteger bebés

Os bebés apresentam menor probabilidade de apanharem gripe quando as mães são vacinadas durante a gravidez, confirma um estudo norte-americano publicado no Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine e citado pelo site Tribuna Médica Press. 

Os investigadores examinaram 1169 mulheres de uma tribo índia e verificaram que a vacinação contra a gripe reduz a infecção em 41% nos primeiros seis meses de vida do bebé. 

Angelica Eick, líder da investigação, explicou que as amostras sanguíneas recolhidas revelaram que os anticorpos passaram das mães para os bebés, pelo que defende a vacinação de todas as grávidas contra a gripe.

fonte:http://www.rcmpharma.com



publicado por adm às 22:56
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar
 
.posts recentes

. Tudo sobre vacinas para g...

. Mulheres aconselhadas a c...

. Quer engravidar? Fique at...

. Saúde: 20% das mulheres g...

. 5 alimentos proibidos na ...

. Vinte e um fatos bizarros...

. Evite certos alimentos...

. Os exames que toda mulher...

. Benefícios da ingestão de...

. Obesidade na gravidez aum...

. Oftalmologista diz que us...

. Tipo de coceira rara na g...

. Usar antibiótico durante ...

. Obesidade na gravidez

. Mulheres com distúrbios a...

.tags

. 10 a 11 semanas

. 11 a 12 semanas

. 12 a 16 semanas

. 18 a 24 semanas

. 19 mitos sobre a amamentação

. 25 semanas

. 26 semanas

. 28 a 33 semanas

. 28 semanas

. 35 anos

. 6 a 8 semanas

. 6 semanas

. 8 a 9 semanas

. 9 a 10 semanas

. abertura vaginal

. aborto

. aborto espontaneo

. aborto espontâneo

. ácido fólico

. actualidade

. acupuntura

. adolescente

. alcool

. alergias

. alimentação

. amamentar

. amniocentese

. analise

. anemia

. ansiedade

. anti-séptico

. aos 30 e aos 40

. as dúvidas

. asma

. bebe

. bebes

. cabelo

. calor

. casamento

. células

. células estaminai

. celulite

. cesariana

. cloasma

. colesterol

. coluna

. concelhos

. concepto

. contracções

. corpo

. corte cirúrgico

. curiosidades

. doença

. dor

. duvidas

. enjoos

. estrias

. exercício

. filho

. gases

. gemeos

. gestação

. gravida

. grávida

. gravidez

. gravidez de risco

. gravidez ectópica

. gripe

. hipertensão

. infertilidade

. leite

. mãe

. mae

. manchas

. mulher

. nascimento

. nomes

. noticias

. obesidade

. paixão

. parto

. pele

. período fertil

. placenta

. placenta prévia

. portugal

. pós-parto

. pos-parto

. prazer

. sangue

. saúde

. saude

. sentimentos

. sexo

. sintomas

. sintomas de gravidez

. testes de gravidez

. ventre

. vida

. video

. todas as tags

.arquivos

. Outubro 2016

. Maio 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

.links
.subscrever feeds