Sábado, 16 de Junho de 2012
Gravidez de risco

Provavelmente este termo tem um significado diferente entre grávidas e técnicos de saúde - algumas situações que têm muita importância para as mulheres que estão grávidas podem ser completamente banais e naturais para os médicos.

Assim, para que todos falem a mesma linguagem foi criada uma espécie de tabela que contém uma lista variável de situações que podem acontecer antes, durante ou depois da gravidez, na altura do parto, e que colocam a gravidez numa categoria de risco. Este número infindável de situações vai para além do âmbito deste artigo mas para que fique com uma ideia mais definida vamos dar alguns exemplos de factores de risco:

  • A existência de algumas doenças crónicas, principalmente, se interferirem com o normal desenvolvimento da gravidez, pode tornar uma futura gravidez de risco: como por exemplo a diabetes ou a hipertensão;
  • Ter antecedentes na família que tenham vivido uma gravidez de risco também torna, na grande maioria das situações, a actual gravidez numa situação de risco: por exemplo, se alguém da sua família teve pré-eclampsia, existe um risco acrescido de pré-eclampsia numa futura gravidez;
  • Fumar em demasia pode também trazer alterações no decurso da gravidez, devendo estas grávidas ser consideradas de risco, se não deixarem de fumar;
  • Durante a gravidez, se tiver anemia grave, diabetes, hipertensão, uma gravidez gemelar ou se tiver uma ameaça de parto prematuro;

E, finalmente, existem algumas situações que podem acarretar algum grau de risco durante o parto: ter um feto muito grande, ter realizado uma ou mais cesarianas ou o feto estar pélvico (sentado).

Claro que, neste momento, é provável que todas as futuras mamãs se questionem como é possível saber se a sua gravidez é ou não de risco…

Estas situações são habitualmente diagnosticadas pelo médico/a assistente e encaminhadas para um hospital/maternidade de referência para que a gravidez passe a ser vigiada por um obstetra, num local onde exista apoio da pediatria.

Por isso, se está grávida não fique ansiosa - se houver alguma situação que o justifique será encaminhada e tratada com todo o cuidado.

 

Mas todas as mulheres podem minimizar estes possíveis riscos. E como?

Se está a pensar engravidar marque uma consulta pré-concepcional no seu ginecologista ou médico de medicina geral e familiar. Nessa consulta será feita a sua história clinica e averiguados vários factores como o seu grupo de sangue, vacinas, se toma medicamentos, como é a sua alimentação e o seu estilo de vida.

Depois dessa consulta, a sua vida pode ter que sofrer uma viragem no sentido de ter um estilo de vida mais saudável: não só em termos alimentares como em adquirir um peso mais adequado, modificar alguns hábitos, se os tiver, menos saudáveis - por exemplo, deixar de fumar ou beber, praticar exercício físico, adquirir horários de trabalho, repouso e alimentares equilibrados.

Claro que todas estas modificações facilitam o decorrer de uma gravidez saudável e sem risco mas é impossível prevenir tudo o que pode acontecer. Se, por acaso, lhe foi diagnosticada uma situação de gravidez de risco nada melhor do que aconselhar- se com a equipa que a vigia.

Mas relaxe…a grande maioria das gravidezes decorrem sem qualquer risco e mesmo que este exista o seu médico/a fará o possivel para que tudo termine bem.

Boa gravidez!

 

fonte:http://www.paramim.com.pt/a



publicado por adm às 22:42
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar
 
.posts recentes

. Tudo sobre vacinas para g...

. Mulheres aconselhadas a c...

. Quer engravidar? Fique at...

. Saúde: 20% das mulheres g...

. 5 alimentos proibidos na ...

. Vinte e um fatos bizarros...

. Evite certos alimentos...

. Os exames que toda mulher...

. Benefícios da ingestão de...

. Obesidade na gravidez aum...

. Oftalmologista diz que us...

. Tipo de coceira rara na g...

. Usar antibiótico durante ...

. Obesidade na gravidez

. Mulheres com distúrbios a...

.tags

. 10 a 11 semanas

. 11 a 12 semanas

. 12 a 16 semanas

. 18 a 24 semanas

. 19 mitos sobre a amamentação

. 25 semanas

. 26 semanas

. 28 a 33 semanas

. 28 semanas

. 35 anos

. 6 a 8 semanas

. 6 semanas

. 8 a 9 semanas

. 9 a 10 semanas

. abertura vaginal

. aborto

. aborto espontaneo

. aborto espontâneo

. ácido fólico

. actualidade

. acupuntura

. adolescente

. alcool

. alergias

. alimentação

. amamentar

. amniocentese

. analise

. anemia

. ansiedade

. anti-séptico

. aos 30 e aos 40

. as dúvidas

. asma

. bebe

. bebes

. cabelo

. calor

. casamento

. células

. células estaminai

. celulite

. cesariana

. cloasma

. colesterol

. coluna

. concelhos

. concepto

. contracções

. corpo

. corte cirúrgico

. curiosidades

. doença

. dor

. duvidas

. enjoos

. estrias

. exercício

. filho

. gases

. gemeos

. gestação

. gravida

. grávida

. gravidez

. gravidez de risco

. gravidez ectópica

. gripe

. hipertensão

. infertilidade

. leite

. mãe

. mae

. manchas

. mulher

. nascimento

. nomes

. noticias

. obesidade

. paixão

. parto

. pele

. período fertil

. placenta

. placenta prévia

. portugal

. pós-parto

. pos-parto

. prazer

. sangue

. saúde

. saude

. sentimentos

. sexo

. sintomas

. sintomas de gravidez

. testes de gravidez

. ventre

. vida

. video

. todas as tags

.arquivos

. Outubro 2016

. Maio 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

.links
.subscrever feeds