Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo Sobre a Gravidez

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

Tudo Sobre a Gravidez

19
Mai11

As grávidas que comem por dois arriscam-se a nunca perder o peso a mais

adm

Os quilos a mais ganhos durante a gravidez, ou seja aqueles que vão além do aumento de peso ideal, acompanham muitas mulheres pela vida fora. Um novo estudo vem lançar o alerta: as mulheres que aumentam de peso de forma excessiva durante a gravidez têm um risco três vezes mais elevado de excesso de peso e obesidade, bem como de problemas de saúde associados, como por exemplo a hipertensão.
Investigadores da Universidade de Bristol, no Reino Unido, sublinham a importância de não aumentar de peso excessivamente durante a gravidez, mas também de estar saudável e com um peso normal antes de engravidar.
Foram registados e analisados dados de 3877 mulheres durante a gravidez e passados dezasseis anos. Metade das mulheres que já tinham excesso de peso antes de engravidarem acabaram por comer mais do que o recomendado durante a gravidez. Entre as que começaram a gravidez com um peso saudável, apenas uma em cinco o fizeram. 
Os investigadores aconselham as mulheres a evitar comer por dois, sobretudo nos primeiros seis meses de gravidez, altura em que os excessos alimentares vão acumular-se em gordura, pois o crescimento do bebé ainda não absorve tanto. Alertam ainda para o facto de comer por dois ser mau para a mãe mas também para o bebé, que terá também riscos acrescidos de excesso de peso, obesidade e todos os problemas associados. 
Os resultados foram publicados no American Journal of Clinical Nutrition

fonte:http://www.tvi24.iol.pt

13
Mai11

Os desconfortos da gravidez

adm

De tão frequentes no início da gestação, os enjoos chegam a ser o primeiro sinal da gravidez. Mas a partir da 12ª semana, eles tendem a diminuir e dão lugar a outros incômodos.

O corpo sofre uma série de alterações físicas e hormonais para o feto crescer, só que algumas mudanças podem atrapalhar o cotidiano da mulher.

“Cuidados simples resolvem ou aliviam a maioria das situações”, afirma o ginecologista e obstetra Ricardo Carvalho Cavalli, secretário da comissão de assistência pré-natal da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Enjoos

Náuseas, enjoos e vômitos acontecem porque o paladar da mulher muda. “Ela começa a gostar de outros alimentos e passa a rejeitar alguns que normalmente comia”, observa o ginecologista e obstetra Edilson da Costa Ogeda, consultor da CordCell e diretor da maternidade do Hospital Samaritano.

A primeira medida é fracionar a alimentação. Torne as refeições pequenas e constantes, evite gordura e coma biscoitos de água e sal antes de escovar os dentes pela manhã, eles são bons para quebrar o jejum sem muito impacto.

Se nada disso funcionar, os médicos partem para o tratamento medicamentoso. “É preciso cuidado nesta hora porque a mulher está grávida e nem todo medicamento deve ser usado. O médico é quem deve escolher”, afirma Ogeda.

Existem também muitas receitas caseiras que, embora não tenham eficácia científica, podem ajudar a mulher na adequação de seu novo paladar. “Isso tudo geralmente acaba após 12 semanas de gravidez”, comenta. Mas não é incomum algumas mulheres terem enjoos durante toda a gestação.

Cansaço e inchaço

O retorno venoso é prejudicado em algumas gestantes por questões hormonais e pelo crescimento do útero. O sangue perde agilidade para voltar das extremidades do corpo e isso causa sensação de cansaço e sonolência.

O incômodo pode surgir no início da gestação e persistir até o parto, podendo ainda ter a intensidade aumentada pelo crescimento do útero. O retorno venoso deficiente pode ainda provocar inchaço nas pernas e varizes, uma vez que o sangue pressiona as veias nos membros inferiores.

Uma solução é usar meias elásticas. “Elas podem ser vestidas logo que a mulher acordar, antes dela levantar”, orienta Ogeda. Se ela levantar para ir ao banheiro ou para beber água, é preciso deitar novamente e levantar as pernas no ângulo de 45 graus antes de colocar as meias. “Senão o efeito delas é prejudicado”, adverte o médico.

As meias também ajudam no combate às varizes, mas é preciso também evitar o ganho de peso rápido ou exagerado. Se a mulher seguir o pré-natal corretamente e não exagerar na alimentação, ela deve ganhar cerca de sete a dez quilos. “Não dá para uma gestante engordar 20 quilos, isso é ruim para a saúde dela”, alerta.

O médico diz ainda que os inchaços requerem observação atenta durante o pré-natal, pois eles podem indicar que a mulher está desenvolvendo hipertensão. O aumento na pressão arterial é um dos principais fatores para pré-eclampsia, que pode causar parto prematuro, a morte do bebê e da mãe.

Dor nas costas

O ganho de peso e o volume na região abdominal fazem a mulher mudar sua maneira de andar. “Os ombros ficam mais para trás, o centro de gravidade é alterado”, aponta Ogeda. Isso pode acentuar desvios na coluna e causar lordose. A lombalgia e hérnia de disco atingem 90% das grávidas.

“A mulher deve se tratar com uma fisioterapeuta especializada em gestantes e também pode melhorar com massagem feita por profissionais habilitados”, afirma o ginecologista. Medidas simples como se abaixar corretamente e sentar combatem a dor nas costas.

Constipação

Todo o trânsito gastrointestinal torna-se mais lento conforme a pressão do útero aumenta sobre a região abdominal, e isso causa constipação. “Há risco da mulher ter problemas de hemorróidas”, afirma Cavalli. Ele recomenda mudanças nos hábitos alimentares, incluindo a ingestão maior de fibras como forma de prevenção. Uma boa fonte são as frutas cítricas.

A pressão do útero expandido também pode afetar os pulmões e deixar a respiração mais curta, favorecendo o cansaço da gestante. As alterações no processo de digestão ainda podem causar azia e refluxo, corrigidos com novas alterações na alimentação e uso de medicamentos.

Pele

A gestante ainda sofre alterações hormonais que tornam sua pele mais sensível ao surgimento de manchas. “Há aumento da progesterona”, explica o ginecologista. A pele fica mais sensível ao sol e, por isso, é preciso dar mais atenção ao uso de protetor solar e proteção física, como chapéu e roupas.

As manchas, explica Cavalli, não somem após a gestação e seu tratamento pode precisar de peeling. “O melhor é tomar cuidado com o sol”, recomenda. A mulher precisa ainda fazer uma boa hidratação e usar cremes para manter a pele mais protegida. “Isso é bom contra estrias”, conta o médico.

Não são poucos ou pequenos os inconvenientes que podem acompanhar a gravidez, mas os especialistas ressaltam que isso deve ser encarado como consequência de uma fase de muitas alterações e, a maioria, passageira. Todos os incômodos da gestação podem ser facilmente aliviados ou até eliminados com bom acompanhamento pré-natal.

fonte:http://www.correiodoestado.com.br/n

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D