Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo Sobre a Gravidez

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

Tudo Sobre a Gravidez

29
Dez11

Alimentação e gravidez

adm

Com a desculpa de que já sabe que vai engordar ou que precisa de «comer por dois», pode sentir-se tentada a comer tudo o que lhe apetece durante a gravidez.

 

Embora seja verdade que a grávida deve acumular uma reserva ele gordura que irá fornecer a energia necessária à amamentarão, durante os seis primeiros meses de gravidez não são necessárias quaisquer calorias extras. Nos últimos três meses, a grávida só necessita de um extra de 200 kcal diárias, as equivalentes a uma sanduíche com 2 fatias médias de pão integral e 50-60 g de peito de frango.
 
 
Os melhores nutrientes 
Como tudo o que a mãe come passa para o feto, deve haver o cuidado de consumir um vasto leque de alimentos saudáveis que garantam ao bebé as melhores condições de desenvolvimento. Sempre que possível, prefira alimentos frescos aos processados: quanto menos aditivos a mãe consumir, menos riscos correrá o bebé.

Proteínas. Durante a gravidez, é aconselhável consumir algumas proteínas extras, embora a maior parte das mulheres coma mais que as suficientes. Duas pequenas porções diárias de carne magra, peixe, ovos, leguminosas ou frutos secos são suficientes. Se for vegetariana, compense a ingestão insuficiente de proteínas e de ferro combinando leguminosas com cereais (massa, cuscuz e arroz) e tomando um suplemento de ferro.

Após os três primeiros meses de gravidez, deixa de ser necessário o suplemento de ácido fólico, embora a alimentação deva continuar a ser rica nesta vitamina.

Cálcio. O organismo absorve o cálcio com maior eficácia durante a gravidez, altura em que a dose diária recomendada é de cerca de 700 mg. Para atingir esta meta, bastam 2 porções diárias de leite, queijo ou iogurte - um copo de leite de 2,5 dl contem 297 mg de cálcio. Se prefere não abusar dos lacticínios, opte pelas bebidas e iogurtes derivados da soja.

Vitamina D. A maior parte das reservas de vitamina D do corpo provém da acção da luz solar sobre a pele. Durante a gravidez, as necessidades de vitamina D aumentam um pouco, mas quem todos os dias passa algumas horas ao ar livre não tem qualquer dificuldade em conseguir mais vitamina D. Contudo, se a sua pele é escura, se vive no Norte da Europa ou o seu vestuário cobre todo o corpo por razões religiosas, poderá não absorver quantidade suficiente de luz solar, sobretudo no Inverno. Para compensar, deve comer diariamente alimentos ricos nesta vitamina, como peixe gordo e ovos. Em vez de manteiga, use margarina por ser enriquecida com vitamina D.

Vitamina A. Durante os últimos três meses de gravidez, pode aumentar ligeiramente o consumo desta vitamina, mas com moderação. Coma muita fruta e legumes cor de laranja e vermelhos, como alperces, pimentas e cenouras, ricos em betacaroteno, que o organismo converte em vitamina A à medida que esta vai sendo necessária. Não se esqueça, porém, de que o fígado e seus derivados, como o pâté, devem ser evitados ao longo de toda a gravidez por conterem elevados níveis de vitamina A.

Ferro. O médico verifica o nível de ferro no início da gravidez; se este for satisfatório, não será necessário qualquer suplemento,uma vez que a gravidez facilita a absorção do ferro. Coma alimentos ricos neste mineral, como carne vermelha, carne escura de aves, ovos, leguminosas e frutos secos. Como o chá interfere com a capacidade de absorção do ferro, será melhor que não o beba à refeição.

Vitaminas C e E. As mais recentes pesquisas revelam que níveis elevados de vitaminas C e E podem reduzir o risco de pré-eclampsia. Na gravidez, esta complicação, rara mas grave, causa uma subida considerável na tensão arterial. As melhores fontes de vitamina C são os citrinos, os pimentos, os morangos, os quivis, o ananás e o tomate. Abacate, óleos de girassol e cártamo, sementes de girassol, amêndoas, avelãs, manteiga e margarina são alimentos ricos em vitamina E.
 
 
Altos e baixos 
As hormonas que ao longo da gravidez circulam no seu organismo poderão causar-lhe alguns incómodos
Enjoas matinais. São numerosas as mulheres que durante os três primeiros meses de gravidez sofrem de enjoes e vómitos. Estes incómodos costumam surgir apenas de manhã, embora algumas mulheres sintam náuseas durante o dia todo. Após as 12-16 semanas, estes sintomas tornam-se mais raros, mas também podem prolongar-se por mais tempo.

Sensações estranhas. Durante a gravidez, podem ocorrer modificações do paladar e do olfacto. Um sabonete ou uma tisana, até então inócuos, podem tornar-se enjoativos, levando a que tenha que evitá-los.

Obstipação. As hormonas podem causar «preguiça» dos intestinos, de que resulta prisão de ventre e hemorróidas. Beba pelo menos 8 copos de líquidos por dia e aumente o consumo de fibras comendo mais fruta, legumes e cereais integrais. A fruta seca, sobretudo a ameixa, é um laxante natural. O exercício faz trabalhar os músculos, ajudando a aliviar a obstipação.

Indigestão e azia. À medida que cresce, o bebé começa a fazer pressão sobre o estômago da mãe, podendo provocar azia (refluxo ácido do estômago para o esófago) e indigestão. Para ajudar a evitar estas duas sensações desconfortantes, reduza as gorduras; evite refeições muito copiosas; faça uma alimentação fraccionada, tomando refeições ligeiras e frequentes; jante cedo; soerga os pés da cama, e beba muitos líquidos - água fria, chá de hortelã-pimenta, etc.

Aumento de peso. É importante que se mantenha activa nos primeiros meses de gravidez. Ao fim dos nove meses, o aumento de peso não deve exceder os 12 kg. Quanto melhor for a sua forma física, mais fácil será lidar com os problemas de aumento de peso e com o trabalho de pano.
fonte:http://www.seleccoes.pt/


Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D