Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo Sobre a Gravidez

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

Tudo Sobre a Gravidez

12
Out13

Azia na gravidez: como atenuar os sintomas

adm

Comer pouco e várias vezes ao dia e beber menos líquidos podem ajudar a diminuir as crises de azia durante a gravidez.

Ao longo da gravidez, são muitas as mulheres que sentem agravar-se os sintomas de azia e má disposição. Este mau estar tem várias causas, sempre relacionadas com as alterações que o organismo da mulher sofre ao longo da gestação. Por um lado, a alteração dos níveis hormonais, que podem afetar os músculos do trato gastrointestinal e a tolerância do organismo a certos alimentos. Por outro, o aumento do volume do útero, que aumenta a pressão sobre o esfíncter esofágico.

Com pequenas alterações do estilo de vida, os sintomas de azia podem ser prevenidos. Comer pouco e várias vezes ao dia, é uma delas. Outra é reduzir a ingestão de líquidos às refeições e manter a cabeceira da cama elevada na hora de dormir.

Se a azia persistir, aconselhe-se com o seu médico, já que existem medicamentos que ajudam a atenuar os sintomas. Os antiácidos com alumínio ou magnésio podem ser tomados durante a gravidez e o aleitamento, não representando riscos para a mãe e para o feto. Contudo, deve ter cautela já que, durante o aleitamento, devem ser evitados os antiácidos que contenham bicarbonato de sódio ou trisilicato de magnésio, prejudiciais para o bebé.

 fonte_http://www.deco.proteste.pt/sa


06
Out13

Ganho de peso durante a gravidez pode aumentar o risco de obesidade nos filhos

adm

Um estudo feito com mais de 40 mil mulheres e seus filhos, no Arkansas, mostra que o ganho de peso elevado durante a gravidez pode aumentar os riscos de obesidade em crianças de até 12 anos de idade. 

Os resultados, publicados nesta terça-feira no PLoS Medicine — espécie de revista de artigos científicos —, da Universidade de Princeton, sugere que a gravidez pode ser um momento importante para prevenir a obesidade da criança.

Segundo a autora do estudo Janet Currie, professora de Economia e Política e diretora do Centro para a Saúde e Bem-Estar da Escola Woodrow Wilson, o ganho excessivo de peso durante a gestação pode, de fato, ter um efeito significativo sobre a futura obesidade dos filhos.

Os pesquisadores também observaram uma tendência familiar para o sobrepeso. Filhos de mães obesas ou que ganharam muito peso durante a gravidez têm mais chances, por exemplo, de apresentarem o mesmo problema. No entanto, essa relação pode ser devido a fatores como genes compartilhados, influências ambientais e considerações socioeconômicas e demográficas.

Juntamento com os co-autores David Ludwig, do Hospital Infantil de Boston, e Heather Rouse, do Centro de Arkansas para Melhoria da Saúde, Currie ligou os registros de nascimentos de mães com dois ou mais filhos aos registros escolares das crianças, que incluíam Índice de Massa Corporal (IMC). 

Em seguida, ela fez estatísticas comparativas entre os irmãos, já que eles têm a mesma distribuição relativa dos genes da obesidade, o mesmo ambiente familiar e as mesmas influências socio-econômicas e demográficas. As crianças tinham uma média de idade de 11,9 anos.

Estudo atual complementa um feito anteriormente

O estudo atual estende os resultados de um anterior feito por Currie e Ludwig, que constatou que o ganho excessivo de peso na gravidez foi determinante para o peso da criança ao nascer. Aparentemente, entretanto, isso continua ao longo da infância, sendo responsável por aproximadamente um quilo.

Segundo Currie, crianças com mães que ganharam muito peso durante a gravidez, como 20 quilos ou mais, tem um percentual 8% maior de risco de obesidade.

— Concluímos, ainda, que a gravidez é um bom momento para prevenir a obesidade, já que, nessa época, as mulheres estão especialmente motivadas a mudar os seus comportamentos — complementa.

 

fonte:http://zerohora.clicrbs.com.br/r

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D