Segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012
O BEBÉ EM CASA

Alimentação 
• 1 bomba para tirar leite 
• Recipientes para armazenar e congelar o leite materno
• 1 almofada de amamentação 
• 4 biberões de plástico de 250 ml 
• Pinça para agarrar biberões 
• Esterilizador 
• 1 escovilhão para limpar biberões e tetinas
• 6 a 8 babetes 

Sugestões: 
- Pode substituir a almofada de amamentação por almofadas normais 
- Use babetes impermeáveis e sempre que o bebé comer, pois impede que a roupa fique molhada 
- Atenção que nem sempre é necessária a bomba para tirar leite. Há mães que não necessitam. Por isso, compre-a só depois do parto 

Dica de mãe: 
“Experimente dar de mamar deitada. Facilita em termos de postura e é muito confortável para o bebé”, Isabel Caldas

“A bomba de tirar leite manual é suficiente para tirar o leite em excesso nos primeiros dias, até regularizar. No entanto, caso queira tirar frequentemente e em quantidade suficiente para uma refeição do bebé, aconselho a utilização da bomba elétrica. Algumas farmácias alugam bombas mensalmente”, Filipa Falcão

“Tenha atenção à amplitude bocal das tetinas biberões, porque vão aumentando de 0+, para 2+, 4+, etc.”, Marta Van Zeller 

Farmácia 
•Soro fisiológico em unidoses (para limpar os olhos e nariz) 
• Paracetamol em supositórios 
• Compressas esterilizadas para o umbigo
• Álcool a 70º 
• Gaze para limpar olhos/umbigo 
• Chucha para recém-nascido com tetina fisiológica 
• Caixinha para pôr a chucha 
• Corrente para a chucha 
• Termómetro digital 

Sugestões: 
- Nas primeiras semanas, é preferível usar apenas compressas embebidas em água. As toalhitas podem ser irritantes 

Dica de mãe: 
“O soro fisiológico deve ser em unidoses, para evitar o risco de contaminação. Para limpar os olhos do bebé, pode embeber cada compressa (uma para o olho esquerdo e outra para o direito) em meia dose cada”, Filipa Falcão 



publicado por adm às 21:58
link do post | comentar | favorito

Sábado, 10 de Setembro de 2011
Comer peixe e nozes na gravidez diminui chance de criança ter alergia alimentar

As grávidas têm um motivo a mais para ficar de olho na alimentação. De acordo com uma pesquisa do Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica da França, uma dieta rica em ácidos graxos ômega 3 - encontrados em peixes (cavala, salmão e atum), nozes e sementes de abóbora e linhaça - diminui o risco de o filho ter alergia alimentar. Os dados são do jornal The Telegraph.

O hábito torna as paredes do intestino do bebê mais permeáveis, o que permite que mais substâncias alimentares e bactérias passem para a corrente sanguínea, fazendo com que o sistema imunológico produza anticorpos.

¿Outros estudos descobriram que uma dieta contendo peixe ou óleo de nozes durante a gravidez pode tornar o bebê mais inteligente. Nossa pesquisa sugere que tais suplementos também aceleram o desenvolvimento de um sistema imunológico saudável para evitar alergias alimentares", disse a cientista Gaëlle Boudry.

Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou porcos, que apresentam modelo intestinal semelhante ao humano. Algumas fêmeas gestantes e lactantes (que estavam amamentando) receberam óleo de semente de linhaça. Os leitões desse grupo apresentaram maior permeabilidade nas paredes do intestino, em comparação com os de mães com dieta sem suplemento

fonte:http://saude.terra.com.br



publicado por adm às 21:06
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 31 de Dezembro de 2010
A alimentação durante a gravidez pode modificar os genes do bebé

As mães que seguem uma dieta rica em gorduras antes e durante a gravidez podem colocar em risco o seu bebé, isto segundo um estudo realizado por uma equipa de investigadores britânicos.

Este grupo de cientistas concluiu que a dieta da mãe poderá interferir nos genes que o bebé herda e influenciar o tipo ou a severidade dos defeitos de nascimento, como doenças cardíacas congénitas e fissura palatina.

“Estes resultados são muito importantes porque conseguimos demonstrar pela primeira vez que as interacções entre os genes e o meio ambiente podem afectar o desenvolvimento do embrião no ventre” afirmou Jamie Bentham, do Centro Wellcome Trust de Genética Humana da Oxford University, que liderou o estudo.

“É encorajador porque sugere que os problemas cardíacos congénitos podem prevenir-se através de medidas como alterar a dieta materna” acrescentou o mesmo. Essa doença é a forma mais comum de problemas ao nascer e vários estudos prévios demonstraram que as crianças de mães com diabetes ou com excesso de peso têm um maior risco de sofrer da mesma.

Também se sabe que certas alterações genéticas, como uma deficiência no Cited2, podem provocar a aparição da doença cardíaca congénita. Mas, até agora, os cientistas não sabiam se outros factores externos, como a dieta da mãe, poderiam interferir com as variações para afectar o bebé.

fonte:http://www.todopapas.com.pt



publicado por adm às 18:25
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 1 de Dezembro de 2010
Estou grávida! E agora o que fazer?

Quando a gravidez não foi planeada, pode ser uma grande surpresa para os futuros pais e até para a família



Depois de um atraso menstrual, muitas mulheres são surpreendidas com uma gravidez inesperada. Todavia, isto quer dizer que a mulher não planeou a sua gravidez como deveria ter feito, nem lhe foi feita nenhuma avaliação de saúde prévia, numa consulta de planeamento familiar. Assim, e de imediato ao resultado do teste, deve marcar uma consulta com o ginecologista. A consulta deve ser obtida entre as primeiras oito e doze semanas a fim de poderem ser precavidas quaisquer deficiências no feto.

Prepare-se para a consulta
Nesta primeira consulta o médico poderá fazer-lhe várias perguntas e para que lhe possa responder devidamente é bom que se prepare previamente. Não fique constrangida e responda ao médico a qualquer questão. Entre as perguntas que terá de responder ao seu médico, indicamos-lhe as mais usuais para que possa ter tempo de preparar as respostas.
- Em que data foi o seu último período?
- Quando fez o teste da gravidez?
- Que tipo de teste fez? (laboratório ou em casa).
- Estava a tomar algum contraceptivo? Qual?
- É a sua primeira gravidez? Se não é, como decorreu a anterior ou anteriores? Há quanto tempo foi a sua última gravidez?
- Já teve algum aborto espontâneo? Em caso positivo com que tempo de gestação?
- Teve algum aborto voluntário? Com que tempo de gestação?

É a ainda conveniente que aponte todas as informações sobre a sua saúde e a do seu companheiro a fim de que o médico possa elaborar convenientemente a vossa história clínica.

 

Questioná-la-á sobre:
- Doenças hereditárias
- Hipertensão
- Diabetes
- Doenças cardíacas
- Obesidade
- Doenças do foro neurológico
- Paludismo
- Febre-amarela
- Rubéola
- Hipertiroidismo
- Hepatite

 

Não fique constrangida e responda ao médico a qualquer questão

 

A consulta
Considerando que esta é a sua primeira consulta, o médico avaliará o seu estado geral de saúde. Auscultará o coração e os pulmões. Verificará a tensão arterial e poderá fazer uma ecografia para confirmar o tempo da gravidez. Se considerar conveniente fará também a palpação e observação da mama. Verificará ainda o seu peso e fará um exame pélvico (avaliação das dimensões da bacia e do útero).Nesta primeira consulta o médico mandará fazer análises de rotina ao sangue e à urina.
Se o médico o aconselhar, deve fazer o teste do HIV (sida). Deve fazê-lo sem preconceitos. A sida contagia-se de diversas formas e ninguém está imune. A transmissão do HIV não se faz apenas através de agulhas contaminadas ou através de relações sexuais. O importante agora é o seu bebé. A possibilidade do futuro bebé vir a ser infectado, pode reduzir-se muito no caso das mães seropositivas, desde que atempadamente se tomem as precauções necessárias e se façam os tratamentos anti-retrovirais.

A consulta deve ser obtida entre as primeiras oito e doze semanas a fim de poderem ser precavidas quaisquer deficiências no feto

Aconselhamento médico
Esta consulta é muito importante porque, para além de confirmar a gravidez e verificar o seu estado de saúde, permite que o médico lhe preste todas as informações sobre o percurso da sua gravidez. É nesta consulta que o médico lhe ministrará alguns conselhos e marcará o calendário das futuras consultas. Saberá qual a melhor dieta para a sua gravidez, as melhores posturas e os exercícios físicos que poderá praticar.
Se tem dúvidas, é melhor não se esquecer de as colocar

Nota:
Se o seu trabalho exige que:
- Esteja muito tempo de pé
- Faça turnos nocturnos
- Faça esforços violentes
- Carregue pesos
- Esteja em contacto com produtos voláteis (colas,tintas,vernizes...)
- Esteja em contacto com radiações
- Esteja em contacto permanente com animais
Fale com o seu médico para que ele a possa aconselhar sobre as medidas a tomar com a sua entidade patronal.

A gravidez não é uma doença, todavia tem de ser acompanhada pelo seu médico

(Obstetra Dra.Madalena Barata)

fonte:familia.sapo




publicado por adm às 17:02
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 17 de Maio de 2010
Significado do sangramento na Gravidez

Tudo depende do trimestre da sua gravidez! As diferenças ocorremda seguinte forma no 1 trimestrea célula-ovo vai fixar-se na parede do útero para que ocorra um desenvolvimento, nesta sequencia pode ocorrer um sangramento se ela romper um vaso sanguíneo. 

Na segunda hipótese, a gestante pode sangrar nos dias em que iria aparecer o seu periodo. É possível ocorrer também algumsangramento nas paredes do útero quando o bebé não se fixa em decorrência de uma alteração hormonal.

O caso mais grave é a ameaça de aborto, em geral acompanhada por uma forte cólica. 

No 2 trimestre, a ocorrência não é tão comum. 

No 3º pode ser causada pela placenta de inserção baixa, ou prévia, localizada na parte mais baixa do útero.

A grávida não vai sentir dor, mas a situação é crítica. Como não existe tratamento, a indicação é fazer repouso ou até adiantar o parto.

Uma outra hipótese é o descolamento prematuro de placenta, comum em mulheres que têm tensão alta. A gestante vai sentir muitas dores e a barriga começa a endurecer. É preciso intervir, realizando o parto.Em qualquer dos casos a grávida terá que ir a um posto médico saber qual é o motivo do sangramento.



publicado por adm às 23:39
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 13 de Maio de 2010
Simpatia-Para gestante saber o sexo do bebê

Para gestante saber o sexo do bebê

Pegue um garfo e uma colher; dois travesseiros e duas cadeiras. Sem que a gestante veja, coloque o garfo debaixo de uma cadeira e o travesseiro em cima. Faça o mesmo com a colher e a outra cadeira. Mande a gestante sentar, escolhendo uma das cadeiras. Ela não deve saber onde está o garfo e a colher, deverá entrar na sala e escolher uma das cadeiras para sentar. Se estiver com o garfo será um menino, se estiver com a colher será uma menina.



publicado por adm às 23:47
link do post | comentar | favorito

Remédio natural para aumentar produção de leite materno


A Silimarina, princípio ativo do Cardo Mariano (Cardus Mariana), tem sido utilizado para aumentar a produção de leite em mulheres que amamentam.

Estudos comprovam que devido seu efeito galactogênico (promotor da produção láctea) pode aumentar a produção de leite mantendo seu valor nutritivo em água, proteína gordura e carboidrato, além de reduzir de forma significativa os episódios inflamatórios mamários (mastite) e como consequência a o uso de antibióticos, que prejudica o processo de amamentação.

O Cardo Mariano é um planta medicinal usada de forma ampla no tratamento de problemas circulatórios e principalmente hepático e biliares, muito bom como agente desintoxicante.

A utilização do seu princípio activo no aumento da lactogenese humana é recente, mas aí também se mostra muito eficiente.



publicado por adm às 00:19
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Maio de 2010
Como escolher o nome do bebe?

Como escolher? Há milhares de opções!

Escolher o nome certo para um bebê é uma missão dificílima. É uma decisão de vida inteira, e muitos pais querem ser originais, mas sem cair na esquisitice. As opções são muitas, e é fácil ficar perdido. Além de tudo, você vai ouvir todo tipo de palpite por parte de parentes, amigos e até estranhos.

Por onde começar?

Comece a falar sobre o assunto com seu parceiro o quanto antes, para conseguir pelo menos algumas diretrizes básicas. Tenha uma listinha sempre à mão, para acrescentar um nome interessante quando cruzar com ele ou quando tiver uma inspiração súbita.

Há muita coisa para levar em conta na hora de decidir o nome do bebê: agradar à família, fugir de apelidos embaraçosos e evitar nomes que remetam a lembranças ruins. Veja a seguir alguns pontos para ter em mente:

• Som e compatibilidade. Diga em voz alta o nome completo do seu filho, com nome e sobrenome. Como ele soa? O nome combina bem com o sobrenome? Não se esqueça de tentar também só o primeiro e o último nome, no caso de haver vários sobrenomes. Às vezes nomes mais curtos combinam melhor com sobrenomes compridos, e vice-versa. Cuidado com trocadilhos, mesmo que eles pareçam bonitinhos na hora. Lembre-se de que seu filho vai conviver com eles pelo resto da vida.

Para quem tem mais de um filho, uma dica: experimente gritar os dois nomes juntos, como se estivesse chamando as crianças para tomar banho. Se a língua enrolar fácil, pense duas vezes. Chamar os nomes em voz alta será uma das coisas que você vai mais fazer na vida!

• Originalidade.
Um nome incomum tem a vantagem de fazer a pessoa se destacar. Um nome muito frequente vai fazer com que seu filho acabe sendo conhecido pelo sobrenome, porque sempre haverá mais de um na classe, por exemplo. Por outro lado, um nome estranho demais, ou de pronúncia difícil, pode acabar chamando uma atenção indesejada para a criança. Uma boa regra é: se o sobrenome for comum, como Souza ou Martins, vale procurar um nome mais original, ou talvez um nome composto, para evitar que haja muitos homônimos. Se o sobrenome for muito diferente, talvez valha a pena investir num nome mais consagrado e tradicional, mais reconhecível.


• Nomes repetidos. Talvez você sempre tenha sonhado, desde criança, em dar determinado nome a seu filho, e, agora que finalmente está grávida, sua cunhada resolveu dar exatamente o mesmo nome ao bebê dela, que acaba de nascer. Por um lado é estranho ter dois primos com o mesmo nome, mas por outro você não precisa abrir mão do seu sonho só por isso.

Uma alternativa é criar um nome composto, para diferenciar o do seu filho, e na intimidade chamá-lo só pelo nome que você gosta. Se os sobrenomes vão ser diferentes, você pode bater o pé e usar o nome que sempre planejou. Afinal, o filho é seu! Aproveite e já planeje um apelido de que você goste -- ele será inevitável.

• Homenagens. Há famílias que escolhem o nome de acordo com a preferência religiosa, e há outras que têm tradições, como a de dar o nome do pai ao primogênito, criando os Júniores, Filhos e Netos. Se você concorda com a tradição, ótimo. Se não, não deixe que familiares imponham uma escolha que não é a sua. Converse francamente com seu companheiro, já que ele é o principal envolvido na história.

Se a tradição vencer e você não encontrar escapatória, pense num apelido de que goste bastante, para chamar o bebê desde pequenininho. Mesmo que o apelido fique só entre vocês dois, você terá a sensação de que pelo menos teve alguma participação na identidade do seu filho.

• Significado. No dia-a-dia, pouca gente vai pensar no significado do nome do seu filho, mesmo porque as origens são obscuras e sujeitas a questionamentos. Mas vale a pena levar o significado em conta se ele for negativo: é provável que seu filho não fique muito feliz se descobrir.

• Apelidos e cacófatos. Crianças sabem ser cruéis quando querem. Por isso, ao escolher o nome, pense em todos os potenciais apelidos ligados a ele, para ver se não há nenhum "perigoso". A criatividade da maldade infantil é infinita, portanto pode ser que você não antecipe alguma gracinha. Mas não custa evitar as brincadeiras mais óbvias.

• Grafia. O fato de ter ou não de soletrar o nome o tempo todo incomoda algumas pessoas. Na hora de decidir que sobrenomes a criança terá e qual será a grafia do primeiro nome, imagine-se no papel dela tendo de dar o nome completo a um atendente qualquer, no balcão de uma loja ou pelo telefone. Veja quanto tempo o processo leva e tome sua decisão.

Quanto à grafia dos prenomes, a tentativa de ser original pode acabar se tornando um transtorno: pode ser que sua filha ache chato ter de se apresentar sempre como "Izabel com zê", ou "Joanna com dois enes".



publicado por adm às 23:01
link do post | comentar | favorito

Sábado, 8 de Maio de 2010
Dá para escolher o sexo do bebê?

Desde que o mundo é mundo, e que se fazem bebês, as mulheres trocam dicas, simpatias e superstições para ter um menino ou uma menina, conforme a preferência. Infelizmente, não há nenhuma prova científica de que elas funcionem.

De científico mesmo, há teses (refutadas) dizendo que o momento da relação sexual pode determinar o sexo do bebê, que se baseiam na constatação de que os espermatozóides que carregam o gene Y (para menino) são mais leves e rápidos, e que os com o gene X (para menina) são mais lentos e resistentes (a um ambiente ácido na vagina, por exemplo).

E existem possibilidades concretas de escolher o sexo do bebê com o uso de técnicas de reprodução assistida, mas há sérias restrições éticas à prática.

Mesmo assim, sempre vai existir alguém dizendo que tentou tal e tal simpatia e que funcionou. Se você quiser desafiar a ciência e experimentar as estratégias consagradas pelo folclore, não há nada de mal em tentar as sugestões abaixo:

Você tem mais chance de encomendar um menino...

• se tiver relação sexual no dia da ovulação, já que, segundo diz a lenda, os espermatozóides masculinos nadam mais rápido e chegam ao óvulo primeiro que os femininos;

• se chegar ao orgasmo antes de seu parceiro, porque isso liberaria um muco alcalino, que em tese seria mais adequado para os espermatozóides masculinos que a acidez natural da vagina;

• se mantiver relações sexuais em posições que permitam uma penetração mais profunda, como na posição de cachorrinho;

• se seu parceiro tiver alta concentração de espermatozóides no sêmen. A explicação seria de que os espermatozóides masculinos não são tão fortes quanto os femininos, portanto quanto mais espermatozóides maior a chance de um masculino chegar ao óvulo;

• se evitar manter relações sexuais por uma semana antes da ovulação e depois só fizer sexo uma vez, no dia da ovulação, o que concentraria o número de espermatozóides presentes no sêmen;

• se seu parceiro for quem tiver tomado a iniciativa para o sexo;

• se vocês mantiverem a relação sexual à noite;

• se vocês fizerem sexo só nos dias ímpares do mês;

• se seu parceiro mantiver os órgãos genitais sempre fresquinhos, usando cuecas samba-canção e calças e shorts largos;

• se você comer comida bem salgada, bastante carne, peixe, farináceos, macarrão, mas evitar leite e derivados, como iogurte, queijo e chocolate, além de nozes e castanhas, frutos do mar e pão integral.

Você tem mais chance de encomendar uma menina...


• se mantiver relações sexuais alguns dias antes da ovulação. A explicação é que os espermatozóides com o gene feminino seriam mais fortes, e durariam mais que os masculinos, que morreriam antes de chegar ao óvulo;

• se seu parceiro chegar ao orgasmo antes que você;

• se você mantiver relações sexuais com bastante frequência para que haja menos espermatozóides no sêmen do seu parceiro, o que elevaria as chances de os espermatozóides femininos chegarem ao óvulo primeiro;

• se vocês mantiverem a penetração não muito profunda;

• se você começar a manter relações sexuais entre quatro e cinco dias antes da ovulação, o que reduziria as chances de os espermatozóides masculinos chegarem primeiro ao óvulo;

• se seu parceiro mantiver os órgãos genitais quentinhos, usando cuecas justas e calças e shorts mais agarrados (mas não apertados demais, senão a fertilidade acaba é prejudicada!);

• se você é quem tiver tomado a iniciativa para a relação sexual;

• se vocês fizerem sexo à tarde;

• se vocês transarem nos dias pares do mês;

• se você colocar uma colher de pau debaixo da cama e uma fita cor-de-rosa sob o travesseiro;

• se você tomar bastante leite e derivados, como queijo e iogurte, além de comidas sem sal, arroz, macarrão, água mineral, pouca carne, batata, evitando sal e comidas salgadas em geral, vinho e cerveja, frutas frescas, espinafre, tomates, cogumelos, café e chá.

Não se esqueça de que essas estratégias não passam de lendas. Mesmo as que são recomendadas por alguns médicos são questionadas por outras linhas de pesquisa, portanto não há comprovação científica ampla.



publicado por adm às 23:36
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 28 de Abril de 2010
Análise ao sangue permite saber sexo do bebé à 8.ª semana de gestação

Análise ao sangue permite saber sexo do bebé à 8.ª semana de gestação


Para os pais querem saber o sexo do seu bebé antes do parto e não aguentam a curiosidade, já não têm de esperar até às 15 semanas para o saber. Com apenas oito de gestação e uma simples análise ao sangue já é possível saber qual a cor a dominar o enxoval: o azul ou o cor-de-rosa.

O procedimento baseia-se numa amostra de sangue da mãe, a partir da oitava semana de gestação, para proceder a uma análise do ADN fetal livre do plasma sanguíneo materno.

Uma vez analisado, procura-se no ADN a presença do gene SRY - «cromossoma sex region Y» - responsável pelo sexo masculino. Se este for detectado, estamos então perante um rapaz. Se este estiver ausente é porque se trata de uma menina.

O teste está disponível em Portugal e é comercializado pela empresa GeneLab. Custa cerca de 100 euros e os riscos, apesar de existirem, são reduzidos.

O sistema mais comum da actualidade para determinar o sexo dos bebés é através das tradicionais ecografias. Com sorte, e dependendo da posição do feto no momento da captação das imagens, poderá determinar-se o sexo a partir das 14 ou 15 semanas de gestação, embora em alguns casos seja necessário esperar até às 20.



publicado por adm às 23:42
link do post | comentar | favorito

.pesquisar
 
.posts recentes

. O BEBÉ EM CASA

. Comer peixe e nozes na gr...

. A alimentação durante a g...

. Estou grávida! E agora o ...

. Significado do sangrament...

. Simpatia-Para gestante sa...

. Remédio natural para aume...

. Como escolher o nome do b...

. Dá para escolher o sexo d...

. Análise ao sangue permite...

. Amniocentese: o exame mai...

. Principais ecografias a f...

.tags

. 10 a 11 semanas

. 11 a 12 semanas

. 12 a 16 semanas

. 18 a 24 semanas

. 19 mitos sobre a amamentação

. 25 semanas

. 26 semanas

. 28 a 33 semanas

. 28 semanas

. 35 anos

. 6 a 8 semanas

. 6 semanas

. 8 a 9 semanas

. 9 a 10 semanas

. abertura vaginal

. aborto

. aborto espontaneo

. aborto espontâneo

. ácido fólico

. actualidade

. acupuntura

. adolescente

. alcool

. alergias

. alimentação

. amamentar

. amniocentese

. analise

. anemia

. ansiedade

. anti-séptico

. aos 30 e aos 40

. as dúvidas

. asma

. bebe

. bebes

. cabelo

. calor

. casamento

. células

. células estaminai

. celulite

. cesariana

. cloasma

. colesterol

. coluna

. concelhos

. concepto

. contracções

. corpo

. corte cirúrgico

. curiosidades

. doença

. dor

. duvidas

. enjoos

. estrias

. exercício

. filho

. gases

. gemeos

. gestação

. gravida

. grávida

. gravidez

. gravidez de risco

. gravidez ectópica

. gripe

. hipertensão

. infertilidade

. leite

. mãe

. mae

. manchas

. mulher

. nascimento

. nomes

. noticias

. obesidade

. paixão

. parto

. pele

. período fertil

. placenta

. placenta prévia

. portugal

. pós-parto

. pos-parto

. prazer

. sangue

. saúde

. saude

. sentimentos

. sexo

. sintomas

. sintomas de gravidez

. testes de gravidez

. ventre

. vida

. video

. todas as tags

.arquivos

. Outubro 2016

. Maio 2015

. Dezembro 2014

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

.links
.subscrever feeds