Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo Sobre a Gravidez

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

Tudo Sobre a Gravidez

06
Jun10

Criopreservação das Células Estaminais, duvidas e respostas!

adm

CÉLULAS ESTAMINAIS, O QUE SÃO?

As células estaminais são células que podem dar origem a diversos tipos celulares, ou seja, são indiferenciadas e tem capacidade de se auto-renovar e dividir indefinidamente.

As células estaminais com maior potencial são as células estaminais embrionárias, obtidas a partir da massa interna do blastocisto (segundo estado de desenvolvimento do embrião dos animais; é nesta fase que ocorre a nidação). Estas, dão origem a todos os tipos de células do organismo, incluindo as células germinativas. No organismo adulto também se encontram células estaminais em diferentes órgãos e tecidos, no entanto, estas diferenciam-se em células do mesmo tipo de órgão de onde derivam.

O sangue do cordão umbilical apresenta uma valiosa fonte de células. Estas, denominadas estaminais, são células hematopoiéticas, que apresentam uma grande capacidade de proliferação e expansão, podendo diferenciar-se nos diferentes tipos de células do sistema hematológico e imunológico. Podem dar origem aos Linfócitos B, Linfócitos T e às Células NK (Natural Killer). Podem diferenciar-se igualmente em progenitores mielóides, que por sua vez, dão origem aos elementos celulares do sangue (eritrócitos, às plaquetas, neutrófilos, monócitos, eosinófilos, basófalos e macrófagos).


No entanto, o sangue do cordão umbilical não possui apenas células estaminais hematopoiéticas. Tal como a medula óssea, possui igualmente células estaminais mesenquimais, que são células com capacidade de se diferenciarem em linhagens mesodérmicas e dar origem a osso ou cartilagem. As células estaminais pluripotentes do cordão umbilical, podem ainda diferenciar-se em células estaminais somáticas não restritas. 


Estas células, com elevado potencial proliferativo têm a capacidade de se diferenciar em várias linhagens celulares, podendo originar células neuronais, ósseas, sanguíneas, hepáticas e cardíacas. Adicionalmente, o sangue do cordão umbilical contém células progenitoras endoteliais, as quais se podem diferenciar em células vasculares. Estas são responsáveis pela formação de novos vasos sanguíneos, podendo ser utilizadas na recuperação de danos vasculares que ocorrem em inúmeras patologias. 

São várias as aplicações das células estaminais que podem contribuir para uma diminuição da morbilidade e até da mortalidade dos dadores e até de seus familiares através de transplantes autólogos (do próprio para o próprio) e heterólogos respectivamente (do próprio para outros que sejam compatíveis). 


QUAIS AS VANTAGENS DA CRIOPRESERVAÇÃO DAS CÉLULAS ESTAMINAIS?

- Disponibilidade imediata para transplantação
- Ausência de risco para o dador
- Menor risco de infecção com agentes infecciosos
- Menor risco de doença do transplante contra o hospedeiro, em comparação ao transplante com células estaminais da medula óssea



INDICAÇÕES PARA A COLHEITA E RESERVA DE SANGUE DO CORDÃO UMBILICAL 

O sangue do cordão umbilical pode ser colhido para várias aplicações. Bancos públicos de armazenamento de sangue do cordão podem recolhê-lo e utilizá-lo para a transplantação em qualquer indivíduo para quem o sangue do cordão é compatível (transplantação heteróloga). Para além disso, pode também ser recolhido por bancos privados a pedido dos pais e financiado pelos mesmos, para uso da própria criança (transplantação autóloga) caso esta venha a necessitar. No entanto em Portugal apenas existem os bancos privados, ou seja, cabe a cada um apostar ou não neste investimento.


Há um sem número de doenças que podem ser tratadas. As mais comuns são as doenças malignas (Leucemia, Lifomas, Liposarcoma, Tumores sólidos, Síndrome Mielodisplásico, Linfoma de Burkitt, etc.), deficiências medulares (anemias, trombocitopenia etc.), Hemoglobinopatias (talassémia, anemia das células falciformes), imunodeficiências, doenças metabólicas, os problemas de transplante de medula óssea, entre outros. No entanto estudam-se possibilidades de abranger outros tipos de doenças.


Existem algumas situações em que a colheita de sangue está contra-indicada, nomeadamente: 

- Suspeita ou confirmação de corionamniotite;
- Herpes genital activo;
- Condilomas perineais extensos;
- Anomalias cromossómicas do feto;
- Afalagia (ausência de dedos nas mãos ou pés);
- Polidactilia (Dedos a mais);
- Microcefalia,
- Albinismo,
- Dwarfismo;
- Hemihipertrofia;
- …



QUAIS AS RAZÕES PARA O INSUCESSO DA CRIOPRESERVAÇÃO?


- Volume de sangue recolhido insuficiente
- Clampagem do cordão umbilical, quanto mais rápida for, maior será o número de células recolhidas
- O próprio tamanho do cordão umbilical

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D