Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo Sobre a Gravidez

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

A gravidez é um momento único na vida duma mulher, durante todo o tempo são enumeras as perguntas que ficam sem resposta, as preocupações com o nosso bebé, as incertezas e as duvidas que ficam no ar. Aqui será o espaço para acabar com algumas

Tudo Sobre a Gravidez

10
Jul13

É possível ter o mesmo corpo após a gravidez? Veja mitos e verdades

adm

Especialistas dão dicas para evitar e combater estrias, flacidez e ganho de peso depois da gestação

 

Recentemente, pessoas próximas à socialite americana Kim Kardashian, que deu à luz sua primeira filha North West em 15 de junho, revelou que ela não se sente nada confortável com o corpo após a gravidez e se prepara para um pesado treino no qual empurrará um trenó de 90 quilos para recuperar a forma, além de estar consumindo apenas 1500 calorias por dia.

 

Durante uma entrevista ao programa Superbonita, a apresentadora Angélica, mãe de três filhos também disse não se sentir muito bem durante a gestação. “Claro que seria um absurdo eu dizer que não gosto de estar grávida. Mas não posso mentir e falar que adoro essa fase. Fico enjoando e não consigo me achar bonita”.

Gravidez
Durante este período, a mulher passa por uma enxurrada de hormônios que transforma todo o corpo, começando pelas mamas, que incham bastante até o terceiro mês e o crescimento da barriga, que começa a ficar mais evidente depois do quinto mês.  Segundo a ginecologista e obstetra do Hospital Albert Einstein, Dra. Alessandra Bedin, é “recomendado é engordar de 9 a 16 quilos, dependendo da altura e do peso antes de engravidar”.

Ao longo da gravidez, o músculo reto-abdominal se abre e a cintura alarga para garantir o aumento seguro da barriga. Mas isso pode apresentar variações entre as gestações.  “No primeiro filho, o tamanho da barriga e a flacidez da musculatura é melhor. Em geral, a barriga do segundo filho fica um pouco mais flácida devido ao músculo que já foi distendido”, explica a ginecologista Alessandra Bedin. 

 

“Na primeira gravidez, o músculo está fechado. Na segunda, não está mais. Então, para quem não malha e tem barriga flácida, a tendência é aumentar ainda mais”, explica o cirurgião plástico Dr. Edilson Pinheiro. Por isso, ter cuidado com o peso e com o corpo antes da gravidez são passos fundamentais para garantir uma gravidez melhor e resultados mais satisfatórios de perda de peso no pós-parto.

 

Esse cuidado também deve ser tomado para evitar o surgimento de varizes, estrias e aumento da celulite. Por isso, procurar um nutricionista, beber muita água e praticar exercícios físicos com acompanhamento médico são fundamentais. “As estrias aparecem quando você aumenta ou diminui o peso rapidamente”, explica o Dr. Edilson, que ressalta a importância de observar o ganho de peso. Mas é como evitá-las?

 

“Prevenir é o melhor remédio. Todas sabem que estrias só são retiradas com cirurgia plástica e devemos evitar ao máximo o aparecimento. Beber muita água e usar hidratantes a base de ureia são as melhores opções”, afirma a cirurgiã plástica Dra. Vanessa Brandalise.

Os óleos também são indicados para a hidratação, mas desde que tenham água na formulação. “Óleo puro de amêndoas ou não, ele faz uma capa externa na pele e é pior do que não passar nada. O melhor é sempre passar um óleo no banho ou usar os cremes com uma base de água para ter penetração na pele”, explica a Dra. Alessandra.

 

De acordo com o aparecimento das estrias, a barriga costuma coçar, sinal de que a hidratação precisa ser intensificada. “Coceira é um sinal de que está estourando o colágeno da pele. O sinal de querer coçar é o pior problema, aí não tem jeito. Por isso, quanto mais hidratação melhor. Pode melecar!”, continua a ginecologista.

A drenagem linfática é um bom hábito para se adquirir durante a gravidez e mantê-lo no pós-parto. “Não há contra indicação para drenagem, mas a posição de barriga para cima não é apropriada, tente sempre fazer de lado. Duas ou três vezes por semana, a própria mulher pode massagear seios, olhos e rosto em casa para diminuir o inchaço”, indica a Dra. Alessandra.

O cuidado com a pele é mais uma prioridade, devido às manchas que aparecem principalmente nas mulheres morenas e não são sensíveis somente ao sol, mas também à luz. Por isso, o filtro solar deve ser aplicado no rosto, mãos e braços e reaplicado depois de quatro ou seis horas.

 

Pós-parto
Depois do parto, a preocupação em recuperar o corpo também chega.  “Dizem que a mulher nunca mais vai ter o corpo de antes, mas isso é totalmente mito”, afirmou Dra. Alessandra Bedin, ginecologista e obstetra do Hospital Albert Einstein.

 

Algumas mulheres se recuperam o corpo mais facilmente, já outras precisam de um pouco mais de esforço para recuperar a forma desejada.  A cantora Ivete Sangalo disse não ter tido pressa para perder os 24 quilos da gravidez do filho Marcelo.  Ela eliminou 15 deles nos primeiros meses e se concentrou em exercícios e alimentação mais regrada depois de um ano do nascimento do herdeiro. Já a também cantora baiana Claudia Leitte disse não ter feito nada de especial para emagrecer os 13 quilos que ganhou na gravidez de seu segundo filho. “Perdi treze quilos em um mês sem fazer nada demais”, declarou na época.

 

“Normalmente falamos que um bebê demora nove meses para nascer, e outros nove meses para o corpo voltar ao normal. Todas já vimos mulheres magérrimas e saradas logo após a gestação, mas isso não é o normal e nem aconselhável. Esperar o tempo necessário ao retorno dos níveis hormonais e da circulação materna é importantíssimo”, alerta a cirurgiã plástica Dra. Vanessa Brandalise.

 

Nos meses seguintes ao parto, a amamentação é a grande aliada da mulher. “Na fase de amamentação é mais fácil perder peso porque o corpo está com o metabolismo aumentado para a produção do leite e isso ajuda a queimar excesso de gordura que ele acumulou para a época da amamentação. Sendo assim, a tendência é ele próprio consumir aquilo que armazenou”, explica a cirurgiã.

 

No entanto, algumas mulheres têm mais dificuldades em ter de volta o corpo pelo menos parecido ao que era antes. “Depois de seis meses, fazendo exercício e alimentação adequada, se não recuperou o peso, aí a cirurgia plástica é uma opção”, afirma a ginecologista do Hospital Albert Einstein, Dra. Alessandra Bedin. No entanto, a mulher não pode estar amamentando para passar pela cirurgia. “O ideal é esperar um período de 8 a 12 meses, mas a mulher deve estar sem amamentar por pelo menos três meses e estar com o seu peso o mais próximo possível do anterior a gestação”, explica a cirurgiã plástica Dra. Vanessa.

 

Mas, tomar alguns cuidados durante o período pós-parto pode ajudar a evitar a mesa de cirurgia. Os básicos: exercício físico, alimentação adequada, beber muito líquido e hidratar mamas (evitando a região da auréola) e barriga devem virar regra, mas outros opções também podem ajudar. “Métodos alternativos, como drenagem linfática, infravermelho, radiofrequência e cremes modeladores aceleram o retorno mais rápido após o parto, assim como o uso de ácidos e peelings para as manchas faciais”, argumenta a cirurgiã plástica.

No primeiro mês após o parto, o uso da cinta modeladora é indicado, mas ao contrário do que se imagina, não deve ser estendido como forma de ajudar a reduzir a barriga. “A cinta faz uma leve compressão no abdômen e ajuda na drenagem quinze ou trinta dias após o parto ou em qualquer outra cirurgia. O que ela faz é ajudar na redução do inchaço, em relação à flacidez, não ajuda muito. O que ajuda a perder peso é a alimentação”, explica o cirurgião plástico Dr. Edilson Pinheiro. 

 

Os seios também são motivo de preocupação para as mulheres. Estrias e a aparência de “caídos” são os principais incômodos. Para evitar que o aumento do peso das mamas cause menos danos possível, o uso de um sutiã adequado é a melhor escolha. “O que mais faz diferença é o quanto ela sustenta a mama, usar um bom sutiã é fundamental. Ele deve ter alça e sustentação boa na parte de baixo”, explica a Dra. Alessandra. Ter o cuidado de segurar o seio na hora da amamentação também pode amenizar os problemas, além de ser melhor para o bebê.

“Lembrando sempre que o bebê deve mamar igualmente nos dois seios. Isso pode causar problemas futuros, se houver predileção por um lado”, alerta a Dra. Vanessa. Para as mulheres que têm silicone, o cuidado deve ser um pouco maior. “Durante a amamentação, junta o peso do silicone com o peso do seio, aí normalmente as mulheres precisam arrumar depois”, explica o cirurgião plástico Dr. Edilson Pinheiro. No entanto, ele ressalta também que “peso, genética e qualidade do silicone” fazem muita diferença.

 

fonte:http://mulher.terra.com.br/vi

09
Abr10

Como recuperar da cesariana?

adm

A percentagem actual de partos feitos através de cesariana é cerca de 30%. A cesariana é uma opção muito utilizada para trazer um bebé ao mundo. Independentemente do motivo pelo qual é feito, o parto por cesariana implica outras sensações pós-parto diferentes de um parto normal.

O parto por cesariana acaba por ser mais previsível pois poderá marcar o dia em vez de esperar pela vontade do bebé. No entanto é bom saber um pouco mais, antes de entrar em trabalho de parto. Existem alguns pormenores que deverá saber:

A recuperação depois de um parto por cesariana é mais demorada. Uma cesariana é uma cirurgia abdominal, por isso como em qualquer outra cirurgia existe um período de recuperação que inclui a cicatrização. Na realidade são necessários cerca de 6 meses para que recupere completamente da cirurgia. Depois da cesariana poderá sentir-se um pouco sem sensibilidade na área, mas os nervos voltam a recuperar cerca de 6 a 9 meses depois do parto. Também é comum surgir um pouco de comichão na zona.

É comum sentir dores no local nas primeiras semanas depois do parto. Para diminuir este desconforto é aconselhado usar uma almofada para suportar o tronco especialmente a zona da incisão para que quando tossir ou rir não sentir tanto impacto. Usar uma cinta por debaixo da roupa também é aconselhável; evitar pegar em grandes pesos; limitar o número de vezes que sobe ou desce escadas, é tudo aconselhado até que o local comece a sarar.

Os gases intestinais podem ser dolorosos. As dores provocadas pelos gases durante os primeiros dias depois do parto podem ser dolorosas pois é quando os intestinos voltam a trabalhar. Dar uns pequenos passeios em casa, mudar de posição frequentemente ajudará a libertar-se dos gases, ajudando-a a reduzir as dores.

O amamentar pode ser desconfortável. Se sentir dificuldades em conseguir uma posição confortável para amamentar o bebé deve conversar com o seu médico ou com uma enfermeira da especialidade. Usualmente amamentar deitada de lado funciona bem porque evita que o bebé toque no local da incisão.

Poderá sentir desconforto ao urinar. Na primeira ou segunda semana depois do parto poderá sentir um desconforto e uma pressão ao urinar. Isto acontece devido à cirurgia mas desaparecerá quando o corpo começar a sarar.

Existe um risco de sentir depressão pós-parto. Se sentir qualquer tipo de sintomas de depressão peça logo ajuda ao seu médico e nunca deixe passar, pois o tempo não a curará, apenas piorará, e quanto mais depressa a tratar mais depressa ela desaparecerá.

Terá de descansar mais. Depois de um parto por cesariana deve fazer questão de descansar durante as semanas posteriores, pois não será apenas bom para si também será bom para o bebé pois terá uma mãe mais saudável.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D